Fecho da época ao som do silêncio do D. Afonso Henriques

Foi no passado domingo, dia 15 de maio, que o Gil Vicente FC defrontou o Vitória SC, em casa, num jogo que ditou o fecho da Liga Portugal Bwin 21/22, mas que já em nada mexia nas contas de ambos os emblemas.

A chuva, que rapidamente se fez sentir na cidade-berço, tomou conta do Estádio D. Afonso Henriques. Despido de adeptos – foi assim que se viu este encontro que tinha tudo e teve tão pouco da festa que é o futebol. A razão remonta a 4 de janeiro de 2020 e levou a equipa vimaranense a fechar as portas aos adeptos, por sanção, mais de dois anos depois.

Um jogo que pouco ou nada foi sorridente para os Gilistas e em que o mesmo não se refletiu na equipa de Guimarães que marcou nos minutos 20 (Estupiñán), 51 (Rúben Lameiras), 83 (Janvier), 85 (Ricardo Quaresma) e 90 (Bruno Duarte). Estava assim fechado o encontro e a edição da competição maior do futebol em Portugal.

Numa semana atribulada e pouco coincidente com as restantes, onde o trabalho e a pressão eram intensos, a equipa liderada por Ricardo Soares ressentiu os festejos e o entusiasmo patentes em toda a estrutura pelo feito, nunca antes conseguido, do acesso às competições europeias, fruto da tomada ao 5º lugar. Em conferência pós-jogo, Ricardo Soares começa por dizer que já sabia que seria um jogo difícil, visto que, “fruto desse sucesso desportivo logicamente que juntamente com os nossos adeptos nós festejamos e festejamos a valer”, dizendo também que “a festa foi da dimensão do feito e isso paga-se caro”.

Apesar disto, o técnico considera que o “resultado é um bocadinho exagerado” e que, “por três golos de diferença era mais justo”. Como sempre, o treinador referiu ainda o grande valor dos seus jogadores, considerando o trabalho do coletivo histórico e que “só com jogadores deste nível conseguiríamos chegar a este resultado”.

Não fugindo à regra, Ricardo Soares recordou que, ao longo da época, o Gil Vicente “procurou sempre valorizar o futebol e o espetáculo”, tendo “um ADN muito particular e uma ideia muito vincada”. Para terminar, o treinador diz-se “eternamente grato” e espera “continuar a crescer porque isto ainda é o meio do caminho”.