entrevista-Murilo

O 77 está de volta

De 21 de janeiro a 13 de setembro. Um longo dilúvio que deixou Murilo Souza arredado da competição. Na passada terça-feira, quase oito meses depois, o 77 gilista voltou a pisar os relvados, durante 45 minutos, ao serviço dos sub-23. O extremo prestou uma entrevista à Gil Vicente TV, que pode agora conferir na íntegra.

 

236 dias. Não foi fácil, mas com a tua dedicação, superação e ajuda da equipa de trabalho as coisas acabaram por correr bem. Como é que viveste esse momento?

A gente quando está na chuva tem a tendência e a grande chance de se molhar. A primeira semana serviu para perceber o que era tudo aquilo. Nunca tinha tido níveis de lesão na carreira. Foi um pouco duro, mas a época que vínhamos fazendo deu-me um gás para buscar forças. Obviamente que as pessoas que estão à minha volta e os meus familiares são muito fortes, a minha esposa, os meus pais, o meu irmão, os meus amigos… abraçaram-me desde o primeiro momento. A minha família é gilista também, acho que é importante detalhar isso. Às vezes dependemos muito do sítio onde estamos e eu estava no clube certo, que me deu todo o suporte. Os jogos que vínhamos fazendo, vitória atrás de vitória, fez com que eu ficasse com aquele gosto pelo clube e deu-me uma força a mais para poder suportar e passar por este momento menos bom na minha carreira.

 

O foco agora é para a vida, para a liberdade de puderes fazer aquilo que mais gostas. Como é que foi viver aqueles 45 minutos, que no fundo foram o regresso oficial à competição?

Acho que voltei a ter a idade dos meninos com quem joguei ontem. Até brinquei hoje aqui com alguns companheiros de equipa, voltei no lugar ideal para voltar a perceber algumas coisas. Estava com a mesma ansiedade deles que eu mesmo tinha com 18 ou 19 anos. Voltei a ter aquele frio na barriga. Estar ao lado deles foi importante para mim, fez-me relembrar o meu início e o que foi a minha estrada até aqui. É um recomeço, mas não posso esquecer o que já conquistei, os momentos em que fui mais feliz. Vi-me de novo com aquela idade e não vai ser uma lesão, mesmo que com um grau de gravidade considerável, que me vai tirar do caminho. Senti-me muito bem no jogo, em todos os deslocamentos, passei as fases que todo pessoal médico me cobrou e pediu. Agora é dar seguimento, obviamente preciso de ganhar ritmo, de paciência, mas tenho a certeza que vou dar o meu melhor e divertir-me dentro de campo.

 

Olhando para o futuro, como é que tens visto a nossa época? Passado está aquele ciclo de nove jogos num mês por conta das competições europeias, que balanço fazes deste início?

A história foi escrita na última época e obviamente que quando fazemos história tendemos um pouco a ficar com essa memória recente já no começo de uma nova. A equipa técnica mudou, mas é super preparada. O nosso grupo é muito bom, quem chegou agregou muito e procurou entender logo as ideias. Não é fácil colocar a vara lá em cima e tentar fazer algo parecido com o que aconteceu na última época. Neste momento, cada um tem que buscar o seu melhor individualmente. Não quer dizer que vamos repetir a posição na tabela classificativa, mas acho que podemos conquistar uma pontuação muito boa novamente, temos capacidade para isso. No entanto, não nos podemos esquecer do que vivemos, de eu vir assistir aos meus companheiros a jogar para a Europa, a felicidade do povo barcelense, a alegria do staff e de todos os que vivem o Gil Vicente… foi importantíssimo. Temos de usar isso não como uma pressão, porque a história está lá e quem chegou também vai querer fazer o seu nome. O Murilo não participou na segunda metade da última temporada, mas agora também vai querer mostrar o seu valor. Há uma série de coisas que queremos deixar positivamente e tenho a certeza que são fatores que vão ajudar o Gil a fazer uma grande época novamente.

 

O 77 está de volta, não é?

Está de volta! Foram oito longos meses, mas o 77 está louco para se divertir novamente e ajudar o Gil para dar grandes espetáculos. Já passou e agora é nova vida para o Gil e nova vida para o Murilo. É um recomeço e quero-me divertir e alegrar mais. Os meus companheiros também estão comigo nessa expetativa, tenho a certeza que me vão ajudar. Estou louco para voltar a jogar no Estádio Cidade de Barcelos e marcar um golo, quem sabe.

 

Veja o vídeo: